ttttttttttttttttttttt

Email: geral@sampaiosaude.pt
t

1º Prémio Fotografia Endoscópica 2017 – Síndrome de Klippel-Trenaunay

1º Prémio Fotografia Endoscópica 2017 – Síndrome de Klippel-Trenaunay

Fotos referentes ao 1º PRÉMIO do concurso de fotografia endoscópica 2017, promovido pela Sociedade Portuguesa de Endoscopia Digestiva (SPED)

CÓLON E RETO – SÍNDROME DE KLIPPEL-TRENAUNAY

UMA CAUSA RARA E DESAFIANTE DE HEMORRAGIA DIGESTIVA BAIXA

Parabéns aos colegas Carlos Bernardes, Rafaela Loureiro, Verónica Borges, Sara Santos, Jaime Ramos, do Serviço de Gastrenterologia – Hospital de Santo António dos Capuchos.

Homem, 58 anos, com rectorragias (hemorragias do reto) recorrentes desde os 8 anos, admitido por rectorragias e anemia. Colonoscopia verificou, no recto e sigmoideia (ver imagem 2), malformações vasculares (MV) múltiplas com hemorragia em toalha (histologicamente: ectasia e proliferação de capilares e vénulas).

Avaliação complementar identificou MV na pélvis, períneo e coxas, permitindo diagnóstico de Síndrome de Klippel-Trenaunay.

Síndrome de Klippel-Trenaunay

Rara síndrome congênita na qual os vasos sanguíneos e linfáticos crescem de forma anômala.

Afeta homens e mulheres igualmente sem diferenciação racial. Não se descobriu ainda a anomalia genética associada.

Tratamento

O tratamento deste síndrome é complexo e deve ser individualizado. Não existe terapia curativa, apenas sintomática. Neste caso concreto, foi realizada sigmoidectomia+colostomia terminal, mantendo-se assintomático durante 3 anos, altura em que reinicia emissão de sangue pelo ânus, com anemia decorrente. No coto rectal, de forma contínua, observaram-se MV com as características descritas. Foram efectuadas sessões periódicas de terapêutica com árgon plasma, obtendo-se remissão clínica e franca melhoria endoscópica.

O recurso à cirurgia, tem sido o tratamento mais frequente há décadas. Opções terapêuticas menos invasivas e mais eficazes têm sido desenvolvidas e a cirurgia de maior porte tornou-se a última linha de tratamento. Cirurgias de ressecção ampla podem deixar deformidades e danos neurológicos permanentes.

As malformações vasculares não ocorrem só no intestino, podem ocorrer nas mais diversas partes do corpo, muitas vezes a escleroterapia, é um tratamento específico para varicosidades e malformações vasculares na área afetada. Envolve a injeção de um produto químico nas veias anômalas para causar espessamento e obstrução dos vasos-alvo. Tal tratamento pode permitir que o fluxo sanguíneo normal seja retomado. É um procedimento médico não-cirúrgico e não é tão invasivo quanto o cirurgico. – realizado na Sampaio Saúde Clínica de Mem Martins Cirurgia Vascular / Secagem de varizes. Escleroterapia com espuma guiada por ultra-som é um novo tratamento que pode potencialmente tratar malformações vasculares grandes.

Terapias de compressão, vestuário de compressão pode ser usado para aliviar quase todos os sintomas, e quando combinado com elevação da área afetada e massagem terapêutica, pode resultar num estilo de vida mais confortável para o paciente sem qualquer cirurgia, massagens linfáticas podem também ser usadas.

Fontes

SPED: http://www.sped.pt/index.php?option=com_wrapper&view=wrapper&Itemid=421

Portal da Codificação Clínica e dos GDH: http://portalcodgdh.min-saude.pt/index.php/Rectorragias,_hematoqu%C3%A9zias_e_melenas

http://www.drfernandovalerio.com.br/cancer_de_intestino.htm

https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_Klippel-Trenaunay

 

 Copyright 2017 – Equipa da Sampaio Saúde. Texto trabalhado segundo fonte fidedignas, qualquer reprodução, parcial ou integral, sem fazer referência à pagina web de origem, constitui crime punível por lei

Sem comentários
Publicar um comentário
Nome
Email
Website